terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Uva-japonesa


Já aqui falei da uva-japonesa.

Chegou a vez de apresentar o “fruto”, fruto entre aspas porque não sei se é fruto ou pé do fruto, o nome que se deve aplicar ao que se come. A árvore é de folha caduca e dei conta deles, depois da queda das folhas.

A árvore dá “uma espécie” de cachos de uvas com bagas na ponta. As bagas não se comem, mas contêm as sementes. O que se come é o correspondente ao engaço do cacho de uvas, ou seja o pedúnculo que suporta os bagos. Neste caso o pedúnculo é composto por uma matéria com a consistência da maçã.

O sabor, porque foi a primeira vez que o provei (só me tinham enviado as sementes), é doce ou mesmo muito doce, o sabor que se associa de imediato é de passa de uvas ou então aquelas uvas moscatel muito doces em ano de seca.

No Brasil chamam-lhe pauzinho doce. Um nome apropriado

5 comentários:

Luciano Lema disse...

Interessante. Não conhecia de todo. Saberás, Filipe, se a Uva-japonesa é rústica o suficiente para aguentar o clima aqui mais a Norte?

Filipe disse...

A Ana Ramon está a tentar, mas penso que sim, envia-me a tua morada por mail que eu envio sementes. Nascem bem se plantares na Primavera

contradicoes disse...

Bastante doce mas não deve dar para produzir vinho, penso eu.

Isabel Henriques disse...

estou interessada em obter um desses exemplares será que me pode indicar um sitio onde os possa arranjar?
obrigada
Isabel

Filipe disse...

OLá isabelenvia-me um mail com a morada para afm7@sapo.pt. Envio-te algumas sementes