sábado, 11 de novembro de 2006

Finalmente

Não sei se é deste Outono quente, o que até nem devia ser razão, mas consegui finalmente que a feijoa desse frutos.
A feijoa, acca sellowiana, (O.Berg) Burret, da família das Myrtaceae, conhecida também por goiaba-serrana e goiaba abacaxi.
É originária do sul do Brasil, em clima subtropical. Existem exemplares no Porto, e o Paulo Araújo já me fez o favor de enviar sementes dum exemplar, que já germinaram e recomendam-se. Mas ainda não foram estas que deram fruto.
A razão do finalmente é que é uma árvore que já "me dá luta" há cerca de 7 anos, floresce bastante mas os frutos nunca os vi.
O facto de darem bastante flores, tem outra vantagem, é que as pétalas são carnudas e têm um sabor muito bom, no Brasil Há quem diga que a polinização é feita por pássaros, que vão comer as pétalas e assim permitem a fecundação das flores,

A feijoa teve até há pouco tempo o nome científico de Feijoa sellowiana. O nome feijoa vem por homenagem a um português nascido no Brasil, João da Silva Feijó (sec. XVIII), director do Museu de História Natural de S. Sebastião no Brasil, A parte do nome sellowiana é uma homenagem ao coleccionador inglês Sellow que descobriu esta fruta no Estado do Rio Grande do Sul no Brasil.

7 comentários:

contradicoes disse...

Não há dúvida que com persistência colhem-se frutos

Fatima Vinagre disse...

Talvez seja desta que o fruto amadureça!

Ana Ramon disse...

Percorrer este jardim é como andar numa caixinha de surpresas. Estou a ficar mesmo invejosa :))

Manuel Anastácio disse...

Vai aqui: http://dias-com-arvores.blogspot.com/2005/05/goiaba-serrana.html

Já agora: o meu mail é manelanastacio [at] gmail.com.

É interessante notar que encontrei várias referências a um tal de Don Silva Feijoa, espanhol, que teria dado nome ao género botânico. Claro que já eliminei essa referência que se encontrava no artigo em português da Wikipédia e que tinha sido eu mesmo a inserir.

Abraços. Estou a estudar a intricada questão que me deixaste no teu último comentário no meu blogue.

Luciana disse...

Veja este artigo: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-29452001000300055&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt
A polinização pode ser por pássaros, ou entomófila, ou anemófila. E existem genótipos autoincompatíveis. Vai ver daí a dificuldade...

Filipe disse...

Luciana , tentei encontrar o artigo e estou interessado mas o link dá erro, não faltará nada? De qualquer maneira obrigado
Manuel, vou enviara um mail, assim que der,
Ana não é para ter inveja, eu partilho. Vou-lhe guardar uma muda.

Paulo Araújo disse...

Fico muito contente de saber que os frutos que te mandei afinal tinham sementes viáveis, apesar de parecerem tão mirrados. Soube este ano que no Porto também há muitas feijoas em Villar d'Allen; a produção é tanta que os donos oferecem os frutos, e por isso já os pude provar.