terça-feira, 14 de novembro de 2006

Feijão mucuna

Trouxeram-me do Brasil dois tipos de sementes de feijão, o feijão porco, Canavalia ensiformis e o fejão mucuna, Mucuna pruriens.
A utilidade destes feijões não era na alimentação, informaram-me que não se podiam comer, mas sim servirem de adubo verde, têm sido plantados com sucesso no Brasil para esse efeito.
Plantei ambos em Maio, o feijão porco, desenvolveu-se bem e tem vagens enormes (para outro post), o feijão mucuna, até Setembro deve ter dado 2 ou 3 folhas, pensei que não passava dali, vieram as primeiras chuvas e começou a crescer um pouco mais.

Vieram estas chuvadas de final de Outubro, princípios de Novembro, e aqui, penso que a temperatura teve efeito, e o feijão mucuna começa a desenvolver-se muito rapidamente.
Uma das fortes razões para usarem em adubação verde é o enorme sistema radicular, que se desenvolve muito e o seu apodrecimento em profundidade, aumenta o teor de matéria orgânica no solo.
Até que chegou ao momento em que deu flor (na fotografia). Aqui colocou-se um problema que ainda não tinha analisado que era o caso de ser infestante ou não ou se, não se podendo comer, que tipo de toxidade apresentava.
Ao pesquisar no google por mucuma pruriens, verifiquei que este feijão era um cocktail químico imenso. O aspecto negativo, o facto de ser consumido como droga, embora tenha aspectos positivos, conseguiram seleccionar um fármaco a partir dele para a doença de Parkinson, é usado como antídoto para a picadela de cobras, além de ser “um potente afrodisíaco”.
Resumindo, não vai passar da flor, no final, descobri que as vagens adultas ficam cobertas de pelos e estes são irritantes e tóxicos, tenho os morangueiros debaixo dele, e estão a dar morangos agora.

8 comentários:

Ana Ramon disse...

Sobre o feijão mucuna, não percebi. Vai destruí-lo? E os seus morangueiros estão com fruto agora? Ás vezes parece que estou num país muito distante :(
Aqui não poderia ter nada que fosse utilizado em drogas. O pessoal do INGA faz-me visitas frequentes para verem o que tenho aqui. Ainda por cima tiram fotografias à quinta, via satélite e andam sempre a chatear quando se apercebem de plantações que não mencionei. Uma vez entraram aqui para perguntar o que tinha feito a umas árvores de grande porte que tinha num determinado terreno. Nesse local nunca tinha tido árvores de grande porte. Teimei e eles teimaram mostrando a foto onde realmente se via uma mancha escura parecida com uma copa. Só dali a minutos é que me lembrei que tinha andado a juntar, naquele sítio, as ramas cortadas dos carvalhos e sobreiros que andara a limpar, para mais tarde serem queimadas, como foram. Andam sempre em cima de nós. Aí deve ser mais fácil ter todo o tipo de plantas. Um abraço

Filipe disse...

Sim vou destruí-lo, ou melhor usar a sua imensa ramagem para oenterrar e usa-lo para o fim previsto.
Analisando os prós e contras, penso que é a solução mais indicada. O facto de as vagens desenvolverem pelos tóxicos, éo o que me faz tomar a decisão.
Os morangueiros estão a dar morangos sim , nunca tinha visto isso em meados de Novembro.

Manuel Anastácio disse...

E essa fotografia... está mesmo a pedir para ser usada na Wikipédia, porque não temos nenhuma dessa espécie... Sou muito chato? Repara: sempre podes dizer que não. ´

Abraço.

VN disse...

Filipe, uma pequena sugestão de cariz científico. Antes de enterrar a planta porque não investigas se, para além dos feijões, também as flores são um "potente afrodisíaco"? ;-)

Filipe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Unknown disse...

Filipe:

Pela foto, deve ser Stizolobium aterrimum, a "mucuna-preta", altamente invasora de bordas de matas e áreas úmidas aqui no Brasil, onde é planta muito comum.

Semente comestível? De forma alguma! É tóxica e perigosa, podendo fazer muito mal a quem o comer,
e mesmo causar morte.

As inflorescências são muito bonitas. Sementes pretas lustrosas, usada para colares.

Celso

Celso do Lago Paiva
Instituto Pró-Endêmicas
http://br.groups.yahoo.com/group/proendemicas/

Filipe disse...

Boa tarde Celso

Já agora o que acha da validade como adubo verde

Um abraço

Filipe

joaquim cardoso dias disse...

eu nào conheço o mocuna de cor preta eu so conheço o mucuna de cor cinza
obs:os gràos deste feijào