terça-feira, 7 de fevereiro de 2006

A. Lobo Antunes


Poema do livrinho de poemas de ANTÓNIO LOBO ANTUNES
Um homem com gripe.
Pachos na testa, terço na mão,
Uma botija, chá de limão,
Zaragatoas, vinho com mel,
Três aspirinas, creme na pele
Grito de medo, chamo a mulher.
Ai Lurdes que vou morrer.
Mede-me a febre, olha-me a goela,
Cala os miúdos, fecha a janela,
Não quero canja, nem a salada,
Ai Lurdes, Lurdes, não vales nada.
Se tu sonhasses como me sinto,
Já vejo a morte nunca te minto,
Já vejo o inferno, chamas, diabos,
anjos estranhos, cornos e rabos,
Vejo demónios nas suas danças
Tigres sem listras, bodes sem tranças
Choros de coruja, risos de grilo
Ai Lurdes, Lurdes fica comigo
Não é o pingo de uma torneira,
Põe-me a Santinha à cabeceira,
Compõe-me a colcha,
Fala ao prior,
Pousa o Jesus no cobertor.
Chama o Doutor, passa a chamada,
Ai Lurdes, Lurdes nem dás por nada.
Faz-me tisana e pão-de-ló,
Não te levantes que fico só,
Aqui sozinho a apodrecer,
Ai Lurdes, Lurdes que vou morrer.
Posted by afm7 at 09:49 PM | Comentários: (0)

3 comentários:

Troilite disse...

Gostei do seu blog, vou "linkar ao meu" http://vulcoesverdes.blogspot.com/

Passarei por aqui mais vezes!!!

António disse...

Por favor ajudem a salvar os 3 carvalhos que restam.
se puderem.
http://antoniopovinho.blogspot.com/2006/02/vdeo-carvalhos-podados.html

2ª feira, dia 20FEV2006 continuam com a poda radical, autorizados pela Direcção Geral de Florestas.
Obrigado
António

Anónimo disse...

nunca li,, so ouvi e ver so te vi uma vez,,,,,,,,,,na tv, e compriendi que devemos de ter a mesma doença,,,,,,,,,,, so quem a tem é que compriende estas palavras,,,, um abraço e a té sempre,,,se o lobo quiser sair da toca a qui fica o meu email...com muito gosto te ouviria malmeker12@hotmail.com. abraço e continua sempre assim, um bom ser humano que no fundo é isso que conta o resto são istorias que pação como os pontos deste mail que ficão por estar presentes,,,,,,,,,