terça-feira, 14 de outubro de 2008

Voltei e trago um livro para começar



Uma agradável supresa!

Descobri este livro recentemente, a edição é deste ano, de Março, fica, para já, a sinopse da editora (Sempre-em-pé) cujo site está em reconstrução.

Seis décadas passaram (1949-2008) sem que tivesse sido traduzida para português uma das obras mais importantes de sempre no domínio da ecologia e da natureza.
Com centenas de milhares de exemplares em várias línguas divulgados universalmente, A Sand County Almanac, de Aldo Lleopold, é hoje o clássico da natureza e da ecologia mais debatido em todo o mundo.
Para título desta primeira edição em língua portuguesa, Pensar Como Uma Montanha, foi adoptada uma expressão do próprio A. Leopold, na qual ele aponta para a necessidade de superar o ponto de vista estreitamente antropocêntrico e de ter sempre em conta o longo e o longuíssimo prazo, se se quer evitar a destruição acelerada da natureza, e da humanidade com ela.

Críticas de imprensa

  • Aldo Leopold ergue-se hoje bem alto, tal um pinheiro gigante, visível dos mais remotos cantos da terra e pistas de cimento da civilização.

Wisconsin State Journal, 1965

Críticas

  • Podemos dizer com segurança que este livro será lido décadas a fio, e provavelmente durante séculos.

William Vogt


  • O livro é uma revelação dos sentimentos íntimos de um homem que sente plenamente as maravilhas da natureza. Mais, ele celebra um sentido especialíssimo e muito raro da ética e da filosofia.

Fairfield Oosborn


Excerto da obra


  • Que nos diz Lleopold? Muito simplesmente (mas não de modo simplista), a necessidade de fazer uma revolução. E é essa a força primeira do Almanaque; há nestas páginas a experiência de um homem, toda a sua vida: durante esse meio século, Aldo Leopold viveu a passagem do mundo antigo à idade nuclear, experimentou todos os progressos e todos os fracassos da época moderna.

J. M. G. Lle Clézio, prefácio à edição francesa
  • Aldo Leopold é um dos clássicos absolutos a que deu origem o pensamento ecologista. Este livro, em que encontraram alimento intelectual e espiritual várias gerações de ecologistas, deu origem à ética ecológica como disciplina filosófica de nítido perfil, e unifica com inimitável frescura as observações naturalistas de primeira mão e a reflexão de fundo sobre a relação entre o ser humano e a biosfera.

Da edição espanhola a cargo de Jorge Riechman



Site da fundação ligada ao autor
http://www.aldoleopold.org/index.htm

3 comentários:

Sofifaruk disse...

Há quanto tempo????
Já estava a estranhar.

Beijos
Sofia

Tombazana disse...

Finalmente!

O livro...esse comprá-lo-ei...tem tudo a ver comigo.

Beijinhos e toca a postar!

Luciano Lema disse...

Bom regresso!
Já lá iam uns mesitos!