segunda-feira, 5 de março de 2007

A Terra

Jean-Francois Millet (1814 - 75)
Também eu quero abrir-te e semear
Um grão de poesia no teu seio!
Anda tudo a lavrar,
Tudo a enterrar centeio,
E são horas de eu pôr a germinar
A semente dos versos que granjeio.

Na seara madura de amanhã
Sem fronteiras nem dono,
Há de existir a praga da milhã,
A volúpia do sono
Da papoula vermelha e temporã,
E o alegre abandono
De uma cigarra vã.

Mas das asas que agite,
O poema que cante
Será graça e limite
Do pendão que levante
A fé que a tua força ressuscite!

Casou-nos Deus, o mito!
E cada imagem que me vem
É um gomo teu, ou um grito
Que eu apenas repito
Na melodia que o poema tem.

Terra, minha aliada
Na criação!
Seja fecunda a vessada,
Seja à tona do chão,
Nada fecundas, nada,
Que eu não fermente também de inspiração!

E por isso te rasgo de magia
E te lanço nos braços a colheita
Que hás de parir depois...
Poesia desfeita,
Fruto maduro de nós dois.

Terra, minha mulher!
Um amor é o aceno,
Outro a quentura que se quer
Dentro dum corpo nu, moreno!

A charrua das leivas não concebe
Uma bolota que não dê carvalhos;
A minha, planta orvalhos...
Água que a manhã bebe
No pudor dos atalhos.

Terra, minha canção!
Ode de pólo a pólo erguida
Pela beleza que não sabe a pão
Mas ao gosto da vida!

Miguel Torga

14 comentários:

Manuel disse...

A imagem que usaste, de Millet, fez-me lembrar um filme belíssimo: "Os respigadores e a respigadora", de Agnés Varda. O poema é que não. Vive de uma fertilidade dolorosa que faz lembrar outras coisas. Abraço.

Manuel Anastácio disse...

Hum... o comentário anterior era meu...

Palavra Alada disse...

parabens pelo blog, temática super interessante :)

eu... disse...

lindo poema... adorei o blog

Pekena disse...

Mt bonito Filipe!Gostei muito,acho a poesia que a poesia de Miguel Torga é bastante interessante tendo em conta o interesse que o p´roprio poeta dava à terra e toda a sua energia, apego e vitalidade que a cobria.

Nádia Bonani disse...

Olá me encantei demais com seu Blog!
Gostaria muito de trocarmos links!
Tenho um blog ambientalista também
é http://salveonossoplaneta.blogspot.com
conto com a sua visita e comentário!
bjus Nádia Bonani*

Pedro Rocha disse...

Olá,

Queriamos dar a conhecer o nosso projecto que promove a Agricultura Biológica na zona do Grande Porto e pretende implementar um conceito de produção local para consumo local.

Convidamos a visitar o nosso blog (www.raizesblog.blogspot.com).

Contamos ter a nossa página em breve pronta. (www.raizes.org)

Obrigado

Daniella Brito Almeida disse...

Adorei este recanto!
Bom trabalho!

António disse...

Regressei após um longo período sabático. Faça o favor de vir à minha "casinha" fazer-me uma visita que a sua presença é sempre bué de agradável.
Aquele @bração do
Zecatelhado

António disse...

Após um longo período sabático o Zecatelhado volta à "Nau". Ora faça o favor de fazer uma visita à minha "casinha" porque a sua presença é sempre imprescindível.
Aquele @bração do
Zecatelhado

Agora em www.marujinho.wordpress.com

rosa disse...

Parabens, Parabens
continue a enviar tão boas informações.

Alentejo és pequenino
mas no teu berço sonhei
percorri montes e vales
muita poesia encontrei.

saiba o resto em meu blogue
aquele abraço ROSADIAS

António disse...

"Tudo me prende à terra onde me deito..."

Um @bração
Zecatelhado

Filipe disse...

Obrigado pelas visitas, espero retribuir e a ver se recomeço a colocar post regularmente

Anónimo disse...

A imagem acompanha muito bem o poema... Miguel Torga sabia o que escrevia... Gosto muito dos poemas dele... :)

Patrícia Oliveira,

Braga

(RVCC-cultura,língua,comunicação)